Aversão a Ambiguidade

Standard
Slave Market with the Disappearing Bust of Voltaire (1940) Salvador Dali

Slave Market with the Disappearing Bust of Voltaire (1940) Salvador Dali

 

As pessoas em geral detestam ambiguidade e preferem qualquer tipo de risco que não seja obscuro, indeterminado, ambivalente. Em outras palavras, as possibilidades bem especificadas são preferidas em detrimento das possibilidades incertas – mesmo que os ganhos bem especificados sejam de valores mais baixos que os incertos. Esse viés é irracional e tem nome: Paradoxo de Ellsberg. Essa aversão a ambiguidade não é uma exclusividade dos homens e o macaco prego, por exemplo, também prefere as opções com informações completas em detrimento das opções indeterminadas. Esse traço comum entre o homem e o macaco prego nos mostra que muito provavelmente esse processo de tomada de decisão que evita a ambiguidade a todo custo não é uma exclusividade humana e tem raízes evolutivas. No contexto político brasileiro, a mensagem que fica é a seguinte: a opinião extremada pode ser mera aversão a ambiguidade, um traço bem primitivo dos primatas! 

 

Play It by Trust (2009) Dealer Francis Naumann playing Yoko Ono on her all–white chess board, during the exhibition Marcel Duchamp The Art of Chess

Play It by Trust (2009) Francis Naumann and Yoko Ono 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s